Abraço de campeão

Eu tentei, juro que tentei.

Porque pensei nisso a semana toda.
O ano todo.
Desde 25 de janeiro.
Queria um título de pulos e abraços e sorrisos.
Mas não deu.
Quando Sálvio Spínola finalmente trilou o apito final, fui às lágrimas sem contenção.
Como uma criança.
Como em 1990.
2007, Série B, meu pai, tudo junto.
Saí do estádio com dor de cabeça. Exausto.
Feliz, e ao mesmo tempo sentindo falta.
De um abraço que sempre esteve aqui com o Corinthians.
Comigo e com o Corinthians.
Um abraço eterno.
Em nossos corações, em nossos corpos, em nossas memórias.
Ali, às 18h07 de 03 de maio último, eu sabia que mais de 25 milhões de pessoas estavam em êxtase.
Que os jogadores ergueriam a taça em instantes.
Que a torcida rumaria para a Praça Campos de Bagatelle.
Mas meus olhos não conseguiam sair do banco de reservas.
O mesmo, pai, onde você descansa.
O um a mais sempre que o placar anuncia o público presente.
O um a menos sempre que há jogo. Ou vida.
Faltou pouco para que eu pulasse o alambrado…
Domingo, o Corinthians ganhou seu 26° título paulista. O primeiro que assisti de forma invicta.
Nenhuma derrota.
Domingo, eu ganhei meu primeiro título órfão.
Nenhum abraço.
E todos eles juntos.
Domingo, voltei a ser criança.
E saí correndo pelas ruas de Pirituba, gritando “é campeão, pai!”.
Somos.
Invictos… e inseparávei

Porque pensei nisso a semana toda.

O ano todo.

Desde 25 de janeiro.

Queria um título de pulos e abraços e sorrisos.

Mas não deu.

Quando Sálvio Spínola finalmente trilou o apito final, fui às lágrimas sem contenção.

Como uma criança.

Como em 1990.

2007, Série B, meu pai, tudo junto.

Saí do estádio com dor de cabeça. Exausto.

Feliz, e ao mesmo tempo sentindo falta.

De um abraço que sempre esteve aqui com o Corinthians.

Comigo e com o Corinthians.

Um abraço eterno.

Em nossos corações, em nossos corpos, em nossas memórias.

Ali, às 18h07 de 03 de maio último, eu sabia que mais de 25 milhões de pessoas estavam em êxtase.

Que os jogadores ergueriam a taça em instantes.

Que a torcida rumaria para a Praça Campos de Bagatelle.

Mas meus olhos não conseguiam sair do banco de reservas.

O mesmo, pai, onde você descansa.

O um a mais sempre que o placar anuncia o público presente.

O um a menos sempre que há jogo. Ou vida.

Faltou pouco para que eu pulasse o alambrado…

Domingo, o Corinthians ganhou seu 26° título paulista. O primeiro que assisti de forma invicta.

Nenhuma derrota.

Domingo, eu ganhei meu primeiro título órfão.

Nenhum abraço.

E todos eles juntos.

Domingo, voltei a ser criança.

E saí correndo pelas ruas de Pirituba, gritando “é campeão, pai!”.

Somos.

Invictos… e inseparáveis.

Inesgotáveis.

Como um abraço de campeão.

Anúncios

8 Respostas para “Abraço de campeão

  1. Eternamente em nossos corações…

  2. Eternamente em nossos coraçoes.

    😥

  3. Ser corithiano é sobreviver a todas a adversidades e nunca desistir, por mais impossivél que possa parecer…
    Acima de tudo, mesmo cabisbaixo, erguer a fronte e olhar firme para frente, a vida segue sempre, e ficamos para dar continuidade ao que inacabado ficou.

  4. Hoje assisti ao FIEL. Entre os depoimentos, me deparei com inúmeras histórias semelhantes as de minha vida, tais como a do radinho de pilha em cima da mesa, no qual eu escutava os jogos com meu pai. Ele ainda está vivo, e assistimos ao jogo do grande campeao invicto juntos. Depois de tanta emoção com o filme, me deparo com a sua história, de amor ao clube, de amor ao pai. Imagino o quanto deve ser triste comemorar um título tão incrível longe daqueles que nos ensinaram o que é ser corintiano, que nos ensinaram o que é amar o corinthians. Entretanto, tenho convicção que nem os corinthianos “de lá” perderiam esse jogo. Seu pai também estava lá. Pelo amor ao corinthians, pelo amor por você.
    Sorte, brilho e força para todos nós!
    E viva o Corinthians!!!

  5. Já aviso que sou palmeirense, mas não tenho como não elogiar esse texto foda!

    Muito bom mesmo!

    E parabéns pelo título invícto, por mais que me doa ver seu time campeão.

    Abraço

  6. vim aqui procurando algum texto sobre a covardia acontecida com o clayton/gaviões e fui presenteada por esse texto.

    muito foda. parabéns.
    (e meus sentimentos).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s