Grécia libertada

[Grécia] Chamada aberta para unir-se a assembléia popular organizada pela Prefeitura liberada de Agios Dimitrios

No dia 6 de dezembro de 2008, um policial apertou o gatilho e assassinou um jovem de 15 anos. A raiva da população está crescendo apesar das tentativas dos meios de comunicação e do governo de confundir a opinião pública.

Deveria ser evidente para todos agora, que este levantamento não é só uma resposta em honra de Alexandro. Desde então, se têm falado muito sobre roubos, incêndios e saques. Para os meios de comunicação e os políticos, a violência só é entendida em termos do que perturba a ordem pública. Para nós, sem dúvida:

Violência é trabalhar sem parar durante 40 anos e perguntar-se se poderá aposentar-te algum dia.

Violência é a Bolsa, as aposentadorias roubadas e as ações.

Violência é estar obrigado a pedir uma hipoteca que acabarás liquidando ao dobro do preço.

Violência é o direito de um patrão a despedir-te a ti e a teus companheiros quando lhe dê vontade.

Violência é o desemprego, a precariedade, os salários de 700 euros.

Violência são os “acidentes” no lugar de trabalho, porque os patrões reduzem seus custos frente à segurança de seus trabalhadores.

Violência é ter que tomar Prozak e vitaminas para poder agüentar às horas extras

Violência é ser um imigrante, viver com medo de ser deportado em qualquer momento e experimentar uma insegurança constante

Violência é ser dona de casa, trabalhadora e mãe ao mesmo tempo

Violência é ser violentada sexualmente e que te digam “Sorria quando te pedimos”

A revolta dos alunos de instituto, dos estudantes, dos abandonados, dos trabalhadores temporários e dos imigrantes atravessa a normalidade. A revolta não deve parar!

Sindicalistas, partidos políticos, padres, jornalistas e empresários estão decididos a manter a violência a que nos referimos.

Não só eles, nós também somos responsáveis pela continuação indefinida da situação descrita acima. Esta revolta tem aberto um espaço para a comunicação, onde finalmente podemos expressar-nos livremente. Decidimos, portanto, ocupar a Prefeitura de Agios Dimitrios e convocar uma assembléia popular, aberta a todos.

Um espaço aberto para o diálogo e a comunicação, para romper com o silêncio, para recuperar nossas vidas.

Ocupação da Prefeitura de Agios Dimitrios – Atenas, Grécia.

grecia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s